Projeto Internacional de prevenção de maus tratos contra bebês é lançado em São Paulo

Iniciativa faz parte da comemoração do Dia Mundial de Prevenção do Abuso Infantil e alerta sobre a Síndrome do Bebê Sacudido.

O projeto que foi lançado nessa quarta-feira, na Faculdade de Medicina da USP, em São Paulo, envolve a orientação de pais, educadores, profissionais de saúde para a prevenção de maus tratos em bebês, ocasionados quando um adulto sacode com violência uma criança ao sentir-se frustrado com o seu choro. Essa situação é conhecida como Síndrome do Bebê Sacudido e, atualmente, diagnosticada como trauma cerebral abusivo.

A iniciativa conta com a criação de materiais educativos na Austrália por uma equipe liderada pela Dra Sue Folley (que estará presente na ocasião) que foram dublados em português e adaptados para a realidade de nosso país e que serão distribuídos em maternidades, populações de risco e outros interessados no Brasil. Há também versões para os países da América Latina e em outros 10 idiomas.

O lançamento ocorre ao mesmo tempo em todo o Brasil por meio da RUTE (Rede Universitária de Telemedicina - www.rute.rnp.br), em conexão nacional com mais de 15 Universidades via videoconferência, além de Portugal e Mocambique (por meio da Internet). A ação conta com o apoio da líder em soluções de telepresença, vídeo e voz, Polycom, que oferece os equipamentos de videoconferência às instituições.

Sobre a Síndrome do Bebê Sacudido

A Síndrome do Bebê Sacudido é uma forma de abuso físico, pouco conhecido e insuficientemente divulgado que ocorre quando um adulto sacode um bebê geralmente menor de seis meses, “com freqüência pela irritação com seu choro, ou por realizar algum ato no qual não tem domínio, que desagrada a quem cuida dele” (Ministério da Saúde, 2002). Como o bebê está em desenvolvimento, estes movimentos bruscos podem causar cegueira, hemorragias na retina, lesões oculares, surdez, fraturas em ossos, paralisia cerebral, deficiência mental e até morte.